Escoteiros participam de capacitação da Defesa Civil de São Paulo

29 de março de 2018

 

No dia 25 de março (domingo), uma capacitação promovida pela Coordenadoria Estadual da Defesa Civil de São Paulo (CEDEC) foi o primeiro fruto colhido da parceria com a Região Escoteira de São Paulo – no fim de 2017, um termo de cooperação foi assinado entre as duas instituições. Junto a integrantes da Cruz Vermelha e dos Jovens Adventistas, 25 escoteiros participaram do curso, entre membros da equipe regional de Relações Institucionais (4), de Saúde (1), de Ações Humanitárias (2), de Programa Educativo (1), do Serviço Escoteiro Profissional (2) e comissários distritais ou seus representantes (15).

Com caráter informativo, a capacitação visou formar multiplicadores para o programa de voluntariado “Rede de Defesa”. O compartilhamento de conhecimentos e práticas entre instituições parceiras que têm a utilização do trabalho voluntário como ponto em comum foi entendido como uma boa forma de atuação integrada no Sistema de Proteção e Defesa Civil.

Os assuntos abordados na data esclareceram o que é uma catástrofe, qual o histórico no Brasil e como se dá a ação da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil que, na verdade é uma rede composta por representantes da Secretarias de Estado, da Polícia Militar, Polícia Civil e do Fundo Social de Solidariedade do Estado, além de integrar e prestar apoio às Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (COMDEC).

Outro destaque da programação foi sobre a imprensa, com a jornalista Cilene Victor, provocando reflexões acerca dos limites éticos e das possibilidades da cobertura jornalística dos desastres.

► Como o Movimento Escoteiro pode ajudar?

“O maior papel do Movimento Escoteiro não é na questão da resposta ao desastre, e sim na prevenção, conscientização e depois no auxílio à reconstrução”, explicou Rodrigo Caires, diretor regional de Relações Institucionais, que participou da capacitação.

Segundo ele, a parceria institucional dos Escoteiros do Brasil – Região de São Paulo não se dá para que jovens passem a atuar diretamente em resgates e desastres, pois somente os profissionais preparados (bombeiros, policiais e outras equipes especializadas) devem realizar esse trabalho. O mais importante é que não só os escoteiros, mas toda a sociedade, atuem na prevenção.

Artur Berberian, coordenador regional de Relações Institucionais Externas, reforçou a mesma ideia, que foi o principal aprendizado do curso. Tanto ele quanto Rodrigo Caires deram como exemplo as campanhas de doações de roupas – uma ação que muitos escoteiros promovem. Um dos grandes obstáculos para que os donativos cheguem às vítimas de catástrofes é a triagem das peças, que muitas vezes estão com tamanhos e tipos misturados. “Se nós, unidades escoteiras locais, fizermos essa triagem adequada e encaminharmos [as doações] para o local da catástrofe prontas para serem entregues, já é uma ajuda enorme”, disse Artur.

► Próximos passos

Um dos próximos pontos da parceria é disseminar esses conhecimentos entre o público escoteiro. “Os comissários que participaram já estão engajados em levar as informações para o distrito para começarmos a ter alinhamento sobre como agir em relação a esses casos”, explicou Artur. As ações futuras estão sendo desenvolvidas em parceria com a Defesa Civil.

Outras formas de ajuda do Movimento Escoteiro ainda serão estruturadas. Um ponto importante a ser considerado é o apoio necessário às comunidades atingidas após os momentos mais críticos dos incidentes. “A catástrofe provoca mais do que o prejuízo material: ela destrói a dignidade humana e o grande trabalho é a reconstrução”, afirmou Caires. De acordo com ele, outros exemplos de ação dos escoteiros são a aplicação de atividades escoteiras adaptadas para crianças em abrigos após as catástrofes, o apoio para cozinhar para equipes de resgate ou vítimas, entre outros.

A partir dessa iniciativa e levando em conta a receptividade da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil de São Paulo (CEDEC), o esforço da diretoria regional é que essa parceria seja consolidada e perpetuada nos próximos anos. “Gostei muito da atenção que estão dando ao Escotismo. Eles estão contando muito com a gente e isso é transparente, pareceu que estávamos chegando em casa”, finalizou Artur.

Veja as fotos: http://bit.ly/2If4ZaN

Confira a notícia no site da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo.

Compartilhe
Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens