mmm


Paulistas recebem o reconhecimento Escoteiros do Mundo

22 de agosto de 2019

Desde julho de 2018, jovens escoteiros contam com um novo reconhecimento no Brasil para projetos de impacto positivo na comunidade: a certificação Escoteiros do Mundo. No documento base brasileiro, consta a explicação:

“O reconhecimento Escoteiros do Mundo desafia os jovens de 15 a 21 anos, escoteiros e não escoteiros, a pensarem sobre questões globais e agirem em suas comunidades resolvendo tais questões. É o único reconhecimento para jovens outorgado pela Organização Mundial do Movimento Escoteiro (WOSM). 

Como parte de uma experiência de aprendizado, é possível adquirir conhecimentos e habilidades necessárias para ajudar a resolver questões globais em sua comunidade. O reconhecimento requer o compromisso de fazer da sua comunidade um lugar melhor. No final, o jovem fará parte de uma rede mundial que colabora para a construção de um mundo melhor e inspira outras pessoas a fazerem o mesmo”.

Até o momento, o Brasil inteiro conta com sete pioneiros certificados como Escoteiros do Mundo. Só na Região Escoteira de São Paulo, são quatro jovens  com esse reconhecimento. 

 

Os projetos Escoteiros do Mundo em SP

David Beraha (GE Avanhandava 4/SP) executou como projeto o evento Kumzits 2018, uma capacitação e interação para escoteiros judeus. “A gente contou com a presença de escoteiros de outras Regiões do Brasil e até de um escoteiro da França”, contou ele. Já o projeto de Sabryna Muhringer (GE do Ar Santista 6/SP) consistiu em uma viagem voluntária para Lima (Peru) onde trabalhou em um orfanato durante um mês, contando suas experiências antes, durante e depois.

Os dois jovens mais recentemente contemplados, Giovanni Bevilacqua e Gabriel Molina, do Grupo Escoteiro João Ramalho 18/SP, realizaram um um mutirão de um final de semana na Aldeia Guyrapa-Ju, localizada em São Bernardo do Campo. A ideia foi melhorar o dia a dia da comunidade. Passaram a fazer visitas com objetivo de identificar demandas que pudessem ser trabalhadas e resolvidas.

Foram construídas três pontes, fogão a lenha e um abrigo para animais domésticos que ali vivem, junto a um check-up em todos eles. Fizeram ainda uma entrega das arrecadações de doações de roupa e alimentos. Após o término do projeto, que durou um semestre, ainda existe uma manutenção das construções feitas a cada três meses. No total, o projeto contou com 25 pessoas, entre pioneiros e mestres.

Como conseguir

Interessado podem acessar o documento base aqui

Contato com a coordenação:
Regional: domundo@escoteirossp.org.br
Nacional: escoteirosdomundo@escoteiros.org.br

 

Compartilhe
Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens