mmm


Prêmio Walter Dohme 2017 valoriza trabalho voluntário e apoio ao escotismo

9 de agosto de 2017

Criado para ser um ícone de reconhecimento, o Prêmio Walter Dohme é destinado aos voluntários que realizam um trabalho de excelência junto aos jovens dentro de sua UEL (Unidade Escoteira Local). E também destaca instituições parceiras que apoiam e contribuem para o crescimento e fortalecimento do movimento escoteiro.

O Prêmio Walter Dohme chega em sua segunda versão e todos os participantes são indicados pelas UELs nas categorias de Escotista de destaque nos ramos Lobinho, Escoteiro, Sênior e Pioneiro; de Dirigente e Instituições Parceiras.

Na categoria de instituição parceira, as duas concorrentes foram: a Associação Cruz Azul de São Paulo, indicada, em conjunto, pelos G.E.s (Grupos Escoteiros) Cruz Azul 96/SP e Cruz Azul de Campinas 92/SP, e a Secretaria Municipal de Educação de Guarujá, indicada pelo G.E. Lobo Guará 331/SP, da mesma cidade.

A Associação Cruz Azul  foi criada em 1925 quando a Comissão da Damas de SP sentiram a necessidade de amparar os órfãos e viúvas dos soldados. A entidade possui 11 colégios, sendo que três abrigam grupos escoteiros.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) do Guarujá possui 89 unidades de ensino, de creche ao fundamental, com 35 mil alunos. Em 2015, a Lei municipal nº 4238/ 2015 instituiu o projeto escotismo nas escolas e regulamentou pelo Decreto nº 11.545/ 2015. A Secretaria reforçou a parceria com o movimento por meio da Carta de Apoio ao Escotismo em junho último.

A instituição ganhadora do Prêmio Walter Dohme nesta categoria foi a Secretaria de Educação do Guarujá. “A Seduc apoia o escotismo justamente por compartilhar o mesmo que está no coração de cada um: a paixão pela educação e os valores que queremos ensinar aos jovens”, comenta Marília Calazans ao receber o troféu com o personagem Alertino, de Walter Dohme. “O apoio que damos é pouco pelo trabalho (feito) por vocês”, completa. Marcelo Simões, da Cruz Azul de Campinas, recebeu o Elogio Regional pela entidade.

congresso-escoteiro_jeff-196
Marília Calazans – Representando a Secretaria de Educação do Guarujá recebe o Prêmio Walter Dohme do Diretor Financeiro da Região de São Paulo Roberlei Beneduzi

Na categoria Dirigente, foram três finalistas excepcionalmente: Adriane Regina Bravo Mendes (G.E. Guaianazes 68/SP), Erenita dos Santos Ferreira Lima (G.E. Guayporé 186/SP) e Mara Selma Dovigo Chiorato (G.E. Rio das Cobras 181/SP). Adriane conheceu o movimento escoteiro quando seus filhos entraram para o Guaianazes, há três anos. Hoje é diretora administrativa. Erenita tem 31 anos de escotismo e participou, com o marido dela, na fundação do Guayporé. Mara entrou no grupo Rio das Cobras, em 2009, e trouxe estabilidade financeira a UEL há dois anos.

A ganhadora na categoria Dirigente foi Erenita. “Primeiro quero agradecer a todos vocês e a Deus. Gostaria muito que meu marido estivesse aqui, mas ele está fazendo um trabalho voluntário, como todos sabem. Agradeço o Grupo Escoteiro Guayporé pela confiança”, comentou Erenita após receber o prêmio. Muito emocionada afirma: “fui picada pelo bichinho do escotismo”. Adriane e Mara receberam o Elogio Regional.

congresso-escoteiro_jeff-204

Erenita dos Santos Lima recebe  prêmio das mãos de Jabs Costa- presidente regional dos Escoteiros do Brasil – Região de São Paulo

Mara Selma (no lado esquerdo) e Adriane Regina (no lado direito) recebem Elogio Regional

 

Na categoria escotista do Ramo Lobinho, os finalistas foram Malcom Roberts Ribeiro (G.E. Rio das Cobras 181/SP) e Sergio Ricardo de Paula (G.E. Cruz Azul de Campinas 92/SP). Malcom tem o dom de unir ideias inovadoras com o tradicional, o que tem aguçado a curiosidade das crianças. Sergio colaborou na fundação da UEL Cruz Azul e é Akelá, contribuindo da melhor forma possível para a formação dos jovens.

O escotista vencedor na categoria Ramo Lobinho foi Sergio. “Agradeço a todos que votaram em mim; a minha família e a minha família escoteira G.E. Cruz Azul de Campinas; à minha filha e minha esposa que sempre apoiam; aos chefes assistentes e aos lobinhos que são a fonte inspiradora para que a gente consiga sempre fazer o melhor possível”. Malcom recebeu o Elogio Regional.

congresso-escoteiro_jeff-212

Sérgio recebe prêmio da Diretora Administrativa da Região de São Paulo Larissa Avari 

congresso-escoteiro_jeff-214

Malcom recebe Elogio Regional

Na categoria escotista do Ramo Escoteiro, os finalistas foram Elidio Aparecido Silva Parreira (G.E. Cruz Azul de Campinas 92/SP) e Luiz Carlos Parolin (G.E. Arara Azul 178/SP). Elidio está há quatro no movimento escoteiro com sua família e trabalha contra a evasão de jovens. Luiz entrou no escotismo em 1968, quando foi lobinho do extinto G.E. Anhanguera, e voltou para o G.E. Arara Azul em 1993 com toda a família.

O vencedor na categoria escotista Ramo Escoteiro foi Elidio, que fez uma série de agradecimentos. “Primeiramente agradeço a Deus, a minha família, a chefia e minha família escoteira”, afirmou. “Não tenho palavras. Aproveito para (agradecer) aos parceiros da comissão de ética (regional) que muitos me ensinam”. Luiz Parolin recebeu o Elogio Regional pelo trabalho realizado junto à sua tropa escoteira.

congresso-escoteiro_jeff-215

Elidio recebe premio entregue de Alexandre Banchi, vice presidente regional dos Escoteiros do Brasil 

congresso-escoteiro_jeff-217

Luiz Parolin recebeu o Elogio Regional

Na categoria escotista Ramo Sênior, os finalistas foram André Luís Bispo Oliveira (G.E. Cruz Azul de Campinas 92/SP) e Murillo Preto Cardozo Junior (G.E. Cavaleiros da Paz 22/SP). André está no movimento escoteiro há quatro anos, desde a abertura da UEL Cruz Azul no colégio. Murillo foi membro juvenil e reconhece o valor do movimento em sua vida pessoal, transmitindo esses ideais aos jovens.

O vencedor na categoria escotista Ramo Sênior é Murillo, da cidade de Socorro. O escotista não conseguiu chegar a Fecap, local do evento, e foi representado por um escotista do grupo dele que ressaltou a importância do trabalho do chefe Murillo junto aos jovens: “Murillo é digno desse prêmio”. Ainda complementou dizendo que Murillo utilizou a teoria do método escoteiro para o trabalho acadêmico de pós-graduação. O representante de André recebeu o Elogio Regional.

congresso-escoteiro_jeff-218

Representante de Murillo Preto recebe prêmio

congresso-escoteiro_jeff-219

Representante de André recebe o Elogio Regional

 

Na categoria escotista do Ramo Pioneiro, os finalistas foram José Bernardo Direito Netto (G.E. Lobo Guará 331/SP) e Juliano José Ribeiro (G.E. Guaianazes 68/SP). José foi membro juvenil e hoje atua como Mestre Pioneiro e diretor técnico, além de contribuir na esfera distrital. Juliano entrou no movimento como pai voluntário, em 2016, e foi se envolvendo até virar Assistente de Pioneiro no início deste ano.

O vencedor da categoria escotista do Ramo Pioneiro foi Juliano. “Com muita honra que recebo esse prêmio, apesar da pouca experiência. Tudo começa pela base e tem duas pessoas que são importantes: a Bia Reali, que é mestre pioneira e me ensina; e à Adriane, que trabalha no Flor de Lis, onde tudo começa”, relatou. “Esse prêmio é para elas também”, dedicou Juliano. José recebeu o Elogio Regional.

congresso-escoteiro_jeff-220

Juliano recebe prêmio

congresso-escoteiro_jeff-224

José recebeu o Elogio Regional

 

Bia Reali, diretora de programa educativo dos Escoteiros do Brasil – Região São Paulo, se absteve de integrar a Comissão Julgadora, responsável pelo processo de escolha dos vencedores, uma vez que havia concorrentes de seu grupo escoteiro.

Alexandre Banchi, vice-presidente dos Escoteiros do Brasil – Região São Paulo, encerrou a cerimônia de entrega do Prêmio Walter Dohme ressaltando o escotista que leva o nome da premiação. “É uma honra a Região de São Paulo entregar o Prêmio com o nome Walter Dohme”, disse. “É também importante o reconhecimento da Região para com o trabalho de base, seja na alcateia, nas tropas ou no clã”. Banchi parabeniza e convida a todos a participarem da 3ª edição do Prêmio Walter Dohme.

A íntegra da entrega do 2º Prêmio Walter Dohme está disponível em vídeo e saiba como foi o 1º Prêmio Walter Dohme.

 

Quem foi Walter Dohme

Nascido em 1951, Walter foi membro juvenil, escotista, dirigente e formador. Foi Insígnia da Madeira e diretor de diversos cursos de formação nos níveis regional e nacional. Sempre foi visto como um exemplo de adulto para seus jovens, não só pela sua prática escoteira, mas também por suas ideias inovadoras. Atuante no G.E. Parecis 10/SP, chefe Walter Dohme seguiu para o Grande Acampamento em 2015 e deixou um grande legado dentro e fora do escotismo. Sua esposa, Vânia, e as filhas Samantha e Vanessa, também são escoteiras.
O personagem “Alertino” é que dá vida ao troféu e foi criada pelo chefe Walter Dohme. Assista a homenagem feita por amigos a Dohme nesse vídeo.

Fotos: Jefferson Tomé

Compartilhe
Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens

You have successfully subscribed to the newsletter

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Escoteiros SP will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.