Pioneiria gigante é construída por escoteiros na Adventure Sports Fair 2017 e vira destaque

31 de dezembro de 2017

Praticamente uma “casa” foi erguida na noite de quinta-feira, 26 de outubro de 2017, quando dezenas de voluntários, entre escotistas e pioneiros, no esquema de rodízio, se reuniram para construir o que sabem fazer de melhor: uma pioneiria. Expertise exclusiva dos escoteiros, a construção do estande de quase 100 m² era quase em sua totalidade feita somente de bambus e amarras, na Adventure Sports Fair, realizada no Expo São Paulo, na rodovia dos imigrantes, entre 27 e 29 de outubro.

A pioneiria gigante era para abrigar o estande da WAS (World Adventure Society), associação de aventureiros existente há quase duas décadas e que firmou parceria com os Escoteiros do Brasil por intermédio do embaixador dos escoteiros, o repórter de aventuras  Celso Cavallini.

Foram necessários mais de 15kg de corda em polipropileno de 4mm e de 6mm para amarrar os cerca de aproximadamente 600 bambus mossos, os bambus gigantes. Foram encomendados 230 bambus de sete metros cada com até 10cm de diâmetro e usados na pioneiria, que resultou em centenas de amarras no telhado, paredes, balcão e divisórias. “Só a estrutura deve pesar quase meia tonelada”, avaliou João Roberto da Cunha, diretor de projetos e eventos regionais e um dos integrantes da equipe de concepção e execução da pioneiria gigante.

A equipe da pioneiria foi formada por escotistas com experiência: João Andriani (G.E. Tibiriçá 243/SP), Thomas Govier (G.E Carajás 2/SP), Jorge Kuma Sototuka (G.E. Falcão Peregrino 20/SP) e Can Baron (G.E. Sardarabad 316/SP). A coordenação do projeto foi da diretora de comunicação da Região Escoteira de São Paulo, Mami Yasunaga (G.E. Caramuru 26/SP), que fez a ponte entre a WAS e o nível nacional dos Escoteiros do Brasil. O projeto da pioneiria foi desenhado pela arquiteta da WAS, Daniela Fenelon, que prezou pela sustentabilidade e beleza da construção.

“O grande desafio era construir algo que não estamos acostumados”, comentou Thomas Govier, que já tem em seu currículo o portal de estrela de 10 metros do Ajuri de 1985, em Cotia (SP), ou a roda gigante feita no Anhembi, que causou um furor entre as crianças. Para realizar com sucesso o projeto, os escotistas realizaram reuniões semanais para traçar a estratégia de levantar a estrutura sem perfurar o chão ou usar estirantes. O resultado foi acompanhado pelo CEO da WAS, Alberto Andrich, que percebeu a dificuldade.

Kuma, autor do livro “Pioneirias e Técnicas de Campo”, também sugeriu alternativas de construir uma plataforma usando a base como tripé, técnica aplicada nessas situações. Havia, no entanto, um entrave, que era a questão do espaço precioso dentro do estande que seria perdido. Ficou decidido que seria realizado vigas com quatro bambus cada para dar a estabilidade necessária à pioneiria gigante. Foram levantadas um total de seis vigas. Os escoteiros também foram responsáveis pela construção de sete totens que serviram de suporte para a exposição, de fotografia dos aventureiros da WAS, nos corredores da Adventure Sports Fair. Crianças interagiram com as pioneirias, que precisaram ter suas amarras reforçadas no decorrer do evento.

Enquanto a pioneiria ganhava forma, várias pessoas de outros estandes olhavam de forma curiosa e perplexa ao perceber a utilização somente de serrote, cordas e bambus. “É incrível como é possível fazer uma construção sustentável apenas com bambu e cordas”, comentou Alberto encantado. “E o mais importante é que esse material será reaproveitado”. Os bambus usados na construção da pioneiria e as cordas foram designadas ao Centro Escoteiro Jaraguá para os cursos de formação, além da distribuição aos grupos escoteiros que enviaram voluntários. Confira o vídeo da montagem!

Outro aspecto que chamou a atenção dos aventureiros da WAS foi o fato de muitos estarem trabalhando até tarde, mas com um sorriso no rosto. “Víamos as pessoas cansadas, queríamos até ajudar, mas não sabíamos como fazer uma amarra… o que me chamou a atenção é que mesmo assim todos estavam felizes”, observou Antonio Fonseca, guia turístico para locais extremos e vice-presidente da WAS. Os escoteiros aplicaram com êxito o oitavo artigo da Lei Escoteira: “O escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades”.

Houve interesse por parte dos visitantes no movimento escoteiro, perguntando sobre a pioneiria e sobre o funcionamento do movimento em si. Pelas dependências da Feira havia muitos escoteiros conhecendo os estandes e jovens se divertindo em algumas atrações como canoagem, pista de surf e snowboard, além da escalada e arvorismo, entre outros.

Parceria WAS

Os Escoteiros do Brasil e a WAS firmaram uma parceria de troca de benefícios aos associados com um desconto especial. Para a Adventure Sports Fair, o escoteiro que associasse à WAS ganhava um desconto de R$ 50,00 na anuidade. Um escotista do G.E. Bororós 125/SP se associou à WAS em um dos três dias do evento, encerrado em 29 de outubro, no domingo. A WAS é uma organização internacional sem fins lucrativos com sede no Brasil com princípios guiados pelo conceito de aventura como estilo de vida saudável, responsável, inclusivo e sustentável. Os aventureiros associados são de várias partes do mundo e alguns de renome como a médica, apresentadora e alpinista (entre outras atividades) Karina Oliani e o alpinista paranaense Waldemar Niclevicz.

Compartilhe
Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens