mmm


Pioneiria gigante é construída por escoteiros na Adventure Sports Fair 2017 e vira destaque

31 de dezembro de 2017

Praticamente uma “casa” foi erguida na noite de quinta-feira, 26 de outubro de 2017, quando dezenas de voluntários, entre escotistas e pioneiros, no esquema de rodízio, se reuniram para construir o que sabem fazer de melhor: uma pioneiria. Expertise exclusiva dos escoteiros, a construção do estande de quase 100 m² era quase em sua totalidade feita somente de bambus e amarras, na Adventure Sports Fair, realizada no Expo São Paulo, na rodovia dos imigrantes, entre 27 e 29 de outubro.

A pioneiria gigante era para abrigar o estande da WAS (World Adventure Society), associação de aventureiros existente há quase duas décadas e que firmou parceria com os Escoteiros do Brasil por intermédio do embaixador dos escoteiros, o repórter de aventuras  Celso Cavallini.

Foram necessários mais de 15kg de corda em polipropileno de 4mm e de 6mm para amarrar os cerca de aproximadamente 600 bambus mossos, os bambus gigantes. Foram encomendados 230 bambus de sete metros cada com até 10cm de diâmetro e usados na pioneiria, que resultou em centenas de amarras no telhado, paredes, balcão e divisórias. “Só a estrutura deve pesar quase meia tonelada”, avaliou João Roberto da Cunha, diretor de projetos e eventos regionais e um dos integrantes da equipe de concepção e execução da pioneiria gigante.

A equipe da pioneiria foi formada por escotistas com experiência: João Andriani (G.E. Tibiriçá 243/SP), Thomas Govier (G.E Carajás 2/SP), Jorge Kuma Sototuka (G.E. Falcão Peregrino 20/SP) e Can Baron (G.E. Sardarabad 316/SP). A coordenação do projeto foi da diretora de comunicação da Região Escoteira de São Paulo, Mami Yasunaga (G.E. Caramuru 26/SP), que fez a ponte entre a WAS e o nível nacional dos Escoteiros do Brasil. O projeto da pioneiria foi desenhado pela arquiteta da WAS, Daniela Fenelon, que prezou pela sustentabilidade e beleza da construção.

“O grande desafio era construir algo que não estamos acostumados”, comentou Thomas Govier, que já tem em seu currículo o portal de estrela de 10 metros do Ajuri de 1985, em Cotia (SP), ou a roda gigante feita no Anhembi, que causou um furor entre as crianças. Para realizar com sucesso o projeto, os escotistas realizaram reuniões semanais para traçar a estratégia de levantar a estrutura sem perfurar o chão ou usar estirantes. O resultado foi acompanhado pelo CEO da WAS, Alberto Andrich, que percebeu a dificuldade.

Kuma, autor do livro “Pioneirias e Técnicas de Campo”, também sugeriu alternativas de construir uma plataforma usando a base como tripé, técnica aplicada nessas situações. Havia, no entanto, um entrave, que era a questão do espaço precioso dentro do estande que seria perdido. Ficou decidido que seria realizado vigas com quatro bambus cada para dar a estabilidade necessária à pioneiria gigante. Foram levantadas um total de seis vigas. Os escoteiros também foram responsáveis pela construção de sete totens que serviram de suporte para a exposição, de fotografia dos aventureiros da WAS, nos corredores da Adventure Sports Fair. Crianças interagiram com as pioneirias, que precisaram ter suas amarras reforçadas no decorrer do evento.

Enquanto a pioneiria ganhava forma, várias pessoas de outros estandes olhavam de forma curiosa e perplexa ao perceber a utilização somente de serrote, cordas e bambus. “É incrível como é possível fazer uma construção sustentável apenas com bambu e cordas”, comentou Alberto encantado. “E o mais importante é que esse material será reaproveitado”. Os bambus usados na construção da pioneiria e as cordas foram designadas ao Centro Escoteiro Jaraguá para os cursos de formação, além da distribuição aos grupos escoteiros que enviaram voluntários. Confira o vídeo da montagem!

Outro aspecto que chamou a atenção dos aventureiros da WAS foi o fato de muitos estarem trabalhando até tarde, mas com um sorriso no rosto. “Víamos as pessoas cansadas, queríamos até ajudar, mas não sabíamos como fazer uma amarra… o que me chamou a atenção é que mesmo assim todos estavam felizes”, observou Antonio Fonseca, guia turístico para locais extremos e vice-presidente da WAS. Os escoteiros aplicaram com êxito o oitavo artigo da Lei Escoteira: “O escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades”.

Houve interesse por parte dos visitantes no movimento escoteiro, perguntando sobre a pioneiria e sobre o funcionamento do movimento em si. Pelas dependências da Feira havia muitos escoteiros conhecendo os estandes e jovens se divertindo em algumas atrações como canoagem, pista de surf e snowboard, além da escalada e arvorismo, entre outros.

Parceria WAS

Os Escoteiros do Brasil e a WAS firmaram uma parceria de troca de benefícios aos associados com um desconto especial. Para a Adventure Sports Fair, o escoteiro que associasse à WAS ganhava um desconto de R$ 50,00 na anuidade. Um escotista do G.E. Bororós 125/SP se associou à WAS em um dos três dias do evento, encerrado em 29 de outubro, no domingo. A WAS é uma organização internacional sem fins lucrativos com sede no Brasil com princípios guiados pelo conceito de aventura como estilo de vida saudável, responsável, inclusivo e sustentável. Os aventureiros associados são de várias partes do mundo e alguns de renome como a médica, apresentadora e alpinista (entre outras atividades) Karina Oliani e o alpinista paranaense Waldemar Niclevicz.

Compartilhe
Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens

You have successfully subscribed to the newsletter

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Escoteiros SP will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.